Os 3 imperdíveis livros de Voltaire de todos.

Quer saber qual o melhor livro de Voltaire?

MelhoresLivros.online tem preparado, com base em referências, a seleção dos livros de Voltaire melhores de todos.

🏆 Aqui está a classificação :

SaleBestseller No. 2
Tratado sobre a tolerância: 728
  • Voltaire (Author)
  • 128 Pages - 09/10/2008 (Publication Date) - L&PM (Publisher)
Bestseller No. 3

Esta lista se baseia sobre os livros de Voltaire mais adquiridos da Amazon no último mês.

💲 Livros em desconto

SaleBestseller No. 1
Tratado sobre a tolerância: 728
  • Voltaire (Author)
  • 128 Pages - 09/10/2008 (Publication Date) - L&PM (Publisher)
Bestseller No. 3

🥇 Melhor livro de Voltaire

Considerando a existência de vários itens a considerar para a seleção do melhor livro de Voltaire, segundo consideramos, Breves Contos II (Breves Contos ao preço de R$ 2,99 nos parece o melhor livro entre todos os outros.

📚 Aprofundamento sobre Voltaire

François-Marie Arouet, mais conhecido pelo pseudônimo Voltaire (Paris, 21 de novembro de 1694 — Paris, 30 de maio de 1778), foi um escritor, ensaísta, deísta e filósofo iluminista francês.

Conhecido pela sua perspicácia e espirituosidade na defesa das liberdades civis, inclusive liberdade religiosa e livre comércio, é uma dentre muitas figuras realize Iluminismo cujas obras e ideias influenciaram pensadores importantes tanto da Revolução Francesa quanto da Americana. Escritor prolífico, Voltaire produziu cerca de 70 obras em quase todas as formas literárias, assinando peças de teatro, poemas, romances, ensaios, obras científicas e históricas, mais de 20 mil cartas e mais de 2 mil livros e panfletos.

Foi um defensor aberto da reforma social apesar das rígidas leis de censura e severas punições para quem as quebrasse. Um polemista satírico, ele frequentemente usou suas obras para criticar a Igreja Católica e as instituições francesas pull off seu tempo. Voltaire é o patriarca de Ferney. Ficou conhecido por dirigir duras críticas aos reis absolutistas e aos privilégios reach clero e da nobreza. Por dizer o que pensava, foi preso duas vezes e, para escapar a uma nova prisão, refugiou-se na Inglaterra. Durante os três anos em que permaneceu naquele país, conheceu e passou a admirar as ideias políticas de John Locke.

Outras sugestões:

shares